Balanço final

Um portefólio permite este segundo olhar (auto) crítico e reflexivo… terminados todos os trabalhos, impunha-se um balanço final que expresse esse segundo olhar.

Fazendo um balanço das actividades, este foi um percurso coerente, começámos por explorar os aspectos relacionados com a Qualidade de cursos online e os modelos de avaliação da qualidade de cursos online, para passarmos então para a avaliação das aprendizagens e os instrumentos possíveis em cursos online. Desta forma, acabámos por abranger os níveis de avaliação mais imediatos: reacção/ satisfação, aprendizagens e comportamentos e o impacto.

As tarefas escolhidas fomentaram o espírito de grupo e a colaboração. Cada actividade de trabalho em grupo foi seguida de um pequeno debate sobre o tema trabalhado. Num grupo bastante homogéneo, como é este, senti muitas vezes dificuldade em participar de forma construtiva, ou seja, acrescentando algo novo à discussão… mas muita da “culpa” esteve nos meus timings de chegada ao debate, obviamente. Analisando os debates à posteriori, penso que foram todos bastante construtivos para o conhecimento do grupo, no global, embora muitas participações sejam quase um “eco” das primeiras, culpa da tal homogeneidade do grupo! 😉

Sendo esta uma Unidade Curricular sobre Avaliação, pareceu-me também pertinente abranger, nesta reflexão final, a componente de Avaliação. Considerei muito claros e úteis os critérios de avaliação constantes do CA, na medida em que nos permitiu, juntamente com os objectivos, saber o que era esperado com cada actividade/ tarefa. O facto de termos um debate de ideias a seguir a cada trabalho de grupo acabou por servir, também, como hetero-avaliação. Por fim, o e-portefólio trás a componente de auto-avaliação, para além de se constituir como o elemento agregador da Unidade Curricular como percurso formativo e não como apenas um conjunto de tarefas.

Comecei este percurso com uma imagem de navegação, uma metáfora do “mar de informação” que é a web. Eu tinha algumas expectativas com Unidade Curricular, a avaliação em elearning é um tema de que gosto bastante. Termino com a sensação de, em conjunto (colegas e professora) termos trazido o barco a bom porto!

E-Portefólios – Uma Ferramenta de Avaliação de cursos online

Actividade 4

Chegámos à última actividade desta Unidade Curricular, “Actividades, instrumentos e modalidades de avaliação em contexto de formação online“, que visava a aquisição de competências ao nível de:

  • Definir e fundamentar diferentes modalidades, instrumentos e actividades de avaliação de aprendizagens em contexto online

Para isso, foi-nos proposto um trabalho de grupo para elaboração de uma apresentação com base num dos seguintes textos:

Este foi o texto escolhido pelo meu grupo, um trabalho realizado com a Filomena Marques, a Teresa Rafael e o Pedro Teixeira.

O grupo que trabalhou este texto foi José Carlos, Mónica Velosa, Paulo Simões e Sandra Brás, apresentando o trabalho que pode ser visto aqui:

http://prezi.com/bxvp0epnkerd/cael/

Aqui, temos o trabalho realizado pelo Luís Rodrigues, Rosalina, Teresa Fernandes e Maria de Lurdes:

http://voicethread.com/#q.b901967.i4803341

Este texto não foi seleccionado por nenhum grupo, mas deixo a referência porque complementa os restantes.

Para mim, não poderia ter terminado de melhor forma senão com um trabalho sobre E-Portefólios.

Num modelo como este que temos experimentado no Mestrado, baseado em actividades, o e-portefólio confere uma visão “holística” do curso, como referem os autores do texto que trabalhámos.

Outros aspectos a destacar dos trabalhos apresentados e do debate relativamente aos instrumentos de avaliação a utilizar em cursos online:

– as possibilidades tecnológicas relacionadas com a Web 2.0

– o debate assíncrono usado como instrumento de avaliação

Perspectivas sobre avaliação pedagógica: a avaliação das aprendizagens em contexto online

Actividade 3

A Actividade 3 propôs a aquisição de competências ao nível de:

Caracterizar perspectivas sobre a avaliação das aprendizagens em contexto online.

Para tal, foi-nos proposto que trabalhássemos em pares para elaborar uma síntese das grandes linhas de força do tema em estudo (Perspectivas sobre avaliação pedagógica: a avaliação das aprendizagens em contexto online), com base nestes dois textos:

BARBERÀ, E. (2006) “Aportaciones de la tecnología a la e-Evaluación”. RED. Revista de Educación a Distancia, Año V. Número monográfico VI. http://www.um.es/ead/red/M6/

PRIMO, Alex (2006) “Avaliação em processos de educação problematizadora online”. In: Marco Silva; Edméa Santos. (Org.). Avaliação da aprendizagem em educação online. São Paulo: Loyola, v. , p. 38-49. http://www6.ufrgs.br/limc/PDFs/EAD5.pdf

O meu trabalho foi realizado em parceria com a Mª João Sobral e podem encontra-lo aqui:

Deixo, como habitual, os restantes trabalhos, para consulta:

A apresentação de trabalhos foi seguida de um pequeno debate das conclusões apresentadas nos trabalhos. Pareceu-me, mais uma vez, que o grupo é bastante homogéneo nas conclusões que tira, o que nem sempre facilita o debate! Esta foi mesmo uma dificuldade sentida nos vários debates: como participar sem a repetição do que já foi dito. No entanto, mais uma vez, houve reflexões bastante interessantes acerca da avaliação das aprendizagens em contexto online, destacando agora os seguintes aspectos:

– a importância do feedback;

– a dificuldade de avaliação de um modelo definido pelo aluno (PLE);

– a necessidade de diversificar os métodos e instrumentos usados;

– a importância da auto-avaliação, avaliação entre pares e transparência no processo.

Proposta de Modelo de Avaliação para Elearning

Actividade 3 – 2ª fase

Partindo dos trabalhos apresentados por todos os grupos, o desafio agora foi propor um modelo de avaliação para e-learning.

Os trabalhos da fase anterior estão disponíveis no meu post do dia 19 de Novembro.

O resultado desta fase de Proposta de um modelo de Avaliação, no meu grupo, foi o trabalho que deixo aqui:

Deixo ainda as restantes propostas:

Numa 3ª e última fase, trabalhou-se em grande grupo para propor um modelo consertado, considerando todos os trabalhos apresentados. Este trabalho foi realizado numa wiki (http://modelo.pbworks.com/) e posteriormente publicado no fórum da actividade.

Não consegui contribuir para a realização desta fase da actividade, mas concordei com o resultado final, que foi este:

Esta actividade, dividida em 3 fases, propunha a aquisição de algumas competências, que me pareceram totalmente adquiridas:

  • Caracterizar diferentes propostas de desenvolvimento/avaliação da qualidade de cursos online;
  • Propor e fundamentar um modelo de avaliação de cursos online.

Directrizes de qualidade no desenvolvimento/avaliação de cursos online

Actividade 2

Cá estou para dar conta de mais uma actividade neste percurso.

Na actividade 2 trabalhámos, numa primeira fase, em pequenos grupos para analisar um texto e apresentar as conclusões do grupo quanto à avaliação de cursos online que o texto defende.

O nosso grupo, constituído por:

– Luciana Grof

– Maria Leal

– Sónia Valente

– Teresa Rafael

escolheu o texto – ACHTEMEIER, Sue D.; MORRIS, Libby, V.; FINNEGAN, Catherine L. (2003) “Considerations for Developing Evaluations of Online Courses”. JALN 7, Issue 1.

http://www.edtechpolicy.org/ArchivedWebsites/Articles/ConsiderationsDevelopingEvaluations.pdf

Este foi o nosso trabalho, apresentado à turma:

Os outros textos trabalhados pelos colegas foram:

  • HOLSAPPLE, Clyde. W. & LEE-POST Anita (2006) “Defining, Assessing, and promoting E-learning Sucess: An information systems perspective”. Decision Sciences Journal of Innovative Education, Vol.4 Nº1 (pp 67-85)

O grupo encarregue deste texto foi: Paulo Simões, Sandra Brás, Mónica Velosa e José Carlos Figueiredo, com o seguinte trabalho:

  • CARR-CHELLMAN, Allison & DUCHASTEL, Philip (2000) “The ideal online course”. British Journal of Educational Technology, Vol 31, Nº3 (229-241).

Este texto foi trabalho pelo Luís Rodrigues, Pedro Teixeira, Rosalina Nunes e Maria de Lurdes Martins, que apresentaram o seguinte resumo:

  • HERRINGTON, Anthony; HERRINGTON, Jan; OLIVER, Ron; STONEY, Sue & WILLIS, Jackie (2001) “Quality Guidelines for online Courses:The Development of an Instru ment to Audit Online Units” In G. Kennedy, M. Keppell, C. McNaught & T. Petrovic (Eds.) Meeting at the crossroads: Proceedings of ASCILITE 2001 (pp 263-270).

O grupo Ana Morgado, Jorge Penso e Teresa Fernandes tiraram as seguintes conclusões acerca deste texto:

  • TINKER, Robert (2001) “E-learning Quality: The Concord Model for Learning from a Distance”NASSP Bulletin, Vol. 85, No. 628, 36-46

Por último, o grupo constituido pela Filomena Marques, Maria João Sobral e Marcus Vinicius trabalhou o texto acima, apresentando o seguinte trabalho:

Esta 1ª fase da actividade foi seguida de uma proposta de modelo de Avaliação, com base nos conjunto de trabalhos apresentados e posterior discussão em grupo.

A qualidade no ensino aprendizagem em contexto online: uma teia de factores

Actividade 1

Este foi o tema da primeira actividade desta Unidade Curricular, onde nos foi pedida a tradução de dois textos para posterior discussão.

Os textos usados foram:

PENNA, Maria Pietronilla & STARA, Vera (2008) “Approaches to E-learning quality Assessment”. http://isdm.univ-tln.fr/PDF/isdm32/isdm_pietronilla.pdf

WISENBERG, Faye & STACEY, Elizabeth (2005) “Reflections on teaching and Learning Online:Quality program design, delivery and support issues from a cross-global perspective”. Distance Education Vol.26, Nº3, (385-404). http://casat.unr.edu/docs/Weisenberg2005.pdf

A turma dividiu os textos e foi criada uma wiki onde os mesmo foram trabalhados. O resultado foi este: http://cael.pbworks.com/

Na fase de debate não tive oportunidade de participar tão activamente, mas li posteriormente os posts dos colegas e penso que se levantaram questões interessantes que, com certeza, serão “esmiuçadas” 😉 ao longo do semestre nesta Unidade Curricular!

Muitas foram as factores  apontados. Não tendo participado activamente no debate, deixo agora aqui a minha reflexão/ síntese acerca dos factores determinantes da qualidade de um curso online identificados pela turma:

– Capacidade de colaborar e sentido de pertença

– Auto-motivação e auto-disciplina

– Competências nas novas tecnologias

– Capacidade de compreensão e expressão escrita

De realçar que muitos destes factores estão interligados e se desdobram em vários outros, criando uma “teia de factores”. Nas palavras da Professora Lúcia Amante: Quanto às questões aqui debatidas, parece-me que foram levantados vários pontos importantes e sobretudo se tomou consciência da multiplicidade de factores que se interligam e determinam (ou não) a qualidade num curso online.”

Como nota pessoal, deixo registada a facilidade com que nos organizámos enquanto turma para o trabalho de tradução, estamos cada vez melhores enquanto comunidade de aprendizagem!

Esta Actividade 1 tinha estipulado o desenvolvimento das seguintes competências:

  • Clarificar conceitos correlacionados com a qualidade em e-learning;
  • Fazer o levantamento do conjunto de factores que determinam a qualidade dos cursos online
  • De uma forma reflexiva, parece-me que estas competências foram desenvolvidas com a actividade proposta.

    Diário de Bordo / Concepção e Avaliação em e-Learning

    navegar1-full

    A iniciar mais uma etapa, este será o espaço do meu Diário de Bordo enquanto navego pela UC Concepção e Avaliação em e-Learning…